sábado, 27 de junho de 2015

Eu financio essa porra?


O debate sobre a questão das drogas é sem dúvida um dos mais polêmicos entre a esquerda. Um ponto central nesse debate é o papel que cumpre a “guerra às drogas” e o “tráfico de drogas” no extermínio da população negra, na violência estatal e no encarceramento em massa que esmaga a classe trabalhadora brasileira. Deparei-me com um texto que se pretende crítico sobre o tema, de título “O Tráfico de Drogas arruina a vida das periféricas e não ignore que você financia isso” [1], publicado no À Margem do Feminismo. Pretendo dialogar criticamente com esse texto e demonstrar as concepções erradas defendidas nele.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Novo "acordo" entre Syriza e União Europeia: a capitulação em movimento


Enquanto torcia pela Venezuela, na Copa América, tive a informação de que o governo da "Esquerda Radical", na Grécia, fechou o documento para continuar as medidas de austeridade num acordo com a União Européia (UE). Tsipras, líder do Syriza, afirmou que ""apresentou aos três líderes a proposta grega para um acordo mutuamente beneficente, que dê uma solução definitiva e não um adiamento para o problema"". Que proposta mutuamente beneficente é essa? Significa: cotar aposentadorias, reduzir pensões e aumentar impostos (sobre a classe trabalhadora e as camadas médias). Só o corte de pensões geraria 200 milhões de euros em "economia". O que o governo da "Esquerda Radical" quer em troca? Um plano de reestruturação da dívida pública (ou seja: mais tempo e juros menores para continuar PAGANDO A DÍVIDA) e maior flexibilidade fiscal (ou seja: poder dispor de um orçamento mínimo para programas sociais focalizados e compensatórios, tipo o Bolsa-família).

quarta-feira, 17 de junho de 2015

O fantasma da Guerra Fria – ou como Igor Fuser poderia ser colunista do The Wall Street Journal


O professor Igor Fuser, intelectual de esquerda brasileiro, escreveu um texto na Revista Forum chamado “O Fantasma de Stálin”. O escrito é uma peça de propaganda bem ao estilo e gosto da Guerra Fria com todos os seus estereótipos e simplificações grosserias. A Revista Forum é uma publicação de esquerda, mas o texto do Fuser poderia figurar perfeitamente nas páginas do The Wall Street Journal ou mesmo da Revista Veja. Na sua intenção de criticar o stalinismo, o professor Fuser repete apenas os dogmas batidos da Guerra Fria criados pela ideologia dominante. Sem criatividade e brilhantismo no texto, melhor seria abrir um livro de Hannah Arendt ou assistir o filme da BBC sobre Stálin.